quinta-feira, 26 de novembro de 2009

1ª Maratona de BTT de Aveiro






Após 3 semanas de pouco treino e descontraído os meus objectivos para este evento eram chegar ao fim sem arranhões.
Objectivo cumprido!
A dureza do traçado foi agravada pela muita chuva da semana anterior que tornou o terreno muito pesado e as zonas mais técnicas ainda mais difíceis. A subida principal era a única dificuldade do percurso, bem, os 95 kms também se tornaram uma dificuldade pois a partir das 4 horas de prova nenhuma maratona se pode considerar fácil.
O início foi rápido e na primeira hora percorri quase 25 km, contudo este ritmo diabólico teve de baixar pois a subida principal tinha de ser abordada com calma.
Nesta subida os 2 kg que tenho a mais desde a maratona do vale do Vouga fizeram-se sentir e de que maneira. Ainda assim cheguei ao topo nos 30 primeiros, mas mais à frente a descida fez-me perder algum tempo e um engano de cerca de 3 kms custaram-me mais de 10 lugares. Nessa altura fui ultrapassado pelas 2 senhoras que pedalavam fortemente.
Na parte final a lama queria pregar as suas partidas na mecânica da bike, mas a transmissão Sram esteve irrepreensível em conjunto com o Pedros Wet Lub.
Terminei ainda a recuperar alguns lugares em 5h17m o que me deu um lugar entre o 45º e o 50º em 96 atletas que terminaram.
Saldo positivo apesar da logística desta prova ter muitas falhas, mas isso são outras contas de um outro rosário.
Dezembro está próximo e a nova época à porta.

segunda-feira, 9 de novembro de 2009

Meia Maratona da Nazaré em risco

A moral está em baixo, o peso a subir e uma semana parado.
É este o resultado do esforço da última semana de outubro.
Provavelmente entrei em overtraining e agora estou a pagar a factura.
O meu joelho esquerdo deu um sinal de alarme e por isso estou desde 3 de novembro sem treinar.
Amanhã irei fazer um teste de corrida para ver como é que ele se comporta e se as dores aparecem e em que intensidade.
Tenho de ter pensamentos positivos e que se não puder alinhar à partida também não é o fim do mundo, fico a incentivar o resto da malta.
Bons treinos!

quarta-feira, 28 de outubro de 2009

Comunicado



...talvez como um filho pródigo, talvez por força do destino, de certeza que não por amor ao encarnado, muito pelas companhias, o que é um facto é que para a época de 2010 irei representar apenas um clube, quer no Triatlo, quer no Duatlo, quer no Ciclismo, será o Clube dos Galitos de Aveiro. Na vertente de atletismo correrei como individual.

Espero que esta "nova família" me aceite com os meus defeitos e limitações, em troca darei todo o meu suor (misturado com Denim, claro, é de macho), todo o meu sangue (juntamente com a EPO e o resto) e todas as minhas lágrimas (é que eu sou muito sensível! (as gaijas gostam de tipos sensíveis)).

Agora a sério, espero dar o meu melhor e que Deus me livre das quedas, acidentes e lesões enquanto de galo ao peito.

Um abraço e bons treinos

Josué

Nova ferramenta para a nova época.



Trata-se do Garmin Forunner 405 HR, que é um monitor de treino sob a forma de um relógio que mede via GPS velocidade, "pace", distância, frequência cardíaca, etc, etc e depois passa-te tudo para a Web para análise e arquivo.
Após o primeiro teste parece ser muito útil e fidedigno.

Esta semana é particularmente dura em termos de treinos de corrida, mas como me tenho sentido bem a moral está em cima.
Enquanto quase toda a gente está a descansar os meus treinos continuam, mas menos tempo por dia.
Até breve.

segunda-feira, 26 de outubro de 2009

5ª Maratona Festival Bike 2009

Olá a todos os que por aqui passam.
Este sábado último participei na prova de XCM de Santarém.
O saldo da minha participação foi francamente positivo, apesar duma queda e alguns arranhões quer na bike quer em mim.
Numa prova onde estavam mais de 2500 inscritos era de esperar muita confusão, mas assim não foi, pois a organização teve uma boa ideia, que foi colocar na frente do pelotão os atletas federados e que teoricamente seriam os mais rápidos, tal como acontece em provas de atletismo, em que partem à frente quem tem uma marca abaixo de "X". Ainda assim, os primeiros 5 Km em estrada boa e larga a subir consideravelmente separaram desde aí as águas.
Cheguei à partida cerca de 45 minutos antes do tiro, já com o aquecimento feito. Tentei não perder a embalagem, o que não foi difícil pois não estava frio e a animação era muita. Dada a partida impôs-se um ritmo muito violento com algumas lebres a esticarem muito o pelotão. Os primeiros 10 km foram feitos em menos de 20 minutos, levando a média bem para cima dos 30 Km/h e já tínhamos feito a subida para Santarém que é de cerca de 1,5 Km a mais de 5% de inclinação. Nessa altura os meus gémeos deram um sinal e abrandei, teve de ser, o ritmos era muito forte para mim. Fui ultrapassado por muitos atletas, mas isso não me preocupou. Na primeira hora fiz mais de 26 Km e nas 2 primeiras, mais de 48. Foi a partir daí que comecei a recuperar lugares, principalmente nas subidas. Nesta fase intermédia da maratona o percurso eram um sobe e desce constante e o ritmo teve de baixar, até porque as descidas eram rápidas, mas perigosas, pois o piso tinha muita gravilha solta e muitas viragens apertadas. Numa delas, à saída de um túnel, perdi a tracção nas 2 rodas e lá fui ao chão. Felizmente nada de grave. Um ligeiro arranhão na coxa, umas pisaduras no ombro e nádega e pouco mais. Bike inspeccionada e lá segui eu. Perdi cerca de 3 a 4 minutos, pois ainda ajudei um colega que logo a seguir caiu no mesmo local e da mesma forma que eu. De início tive algumas dores na coxa sempre que pedalava mais em força, mas com o passar dos minutos a coisa aliviou. Encontrei de novo o meu ritmo e recuperei alguns dos lugares que entretanto perdera.
A partir do Km 65 as dificuldades diminuíram e fiquei num grupo onde se trabalhou bem. Deu para alcançar alguns atletas e manter um ritmo muito vivo até aos kms finais. Quando entrámos nos últimos três kms estava num grupo de 6 atletas, nessa altura e como me sentia bem impus um ritmo forte nas 2 subidas que tínhamos e entrei na recta final isolado a bom ritmo que deu para ficar na frente e quase alcançar mais um atleta.
No final um tempo de 4h17m14s, que deu 69º da geral e 67º masculino, para os 88 kms que o meu gps registou. Média de 20,5 km/h e cerca de 1400 metros de subida, o que se pode considerar uma maratona relativamente rolante.
Balanço final muito positivo, pois foi das provas onde me senti menos cansado quer ao longo da prova, quer no final. Gestão muito positiva da alimentação, sem qualquer problema ao longo de toda a prova e na recuperação. Comi :
1º Pequeno almoço às 6:00 de cereais integrais e leite de soja, mais uma fatia de broa com doce de pêssego.
2º Pequeno almoço às 8:00 um café e um bolo de arroz.
1 barra de cereais "Special K" meia hora antes da partida
1 pêra quando tinha 1h30m de prova.
1 segunda barra quando tinha 1h45m de prova
1 terceira barra às 3 horas de prova
mais fruta, 1/2 banana e 1/2 pêra cerca das 3:45 de prova.
Durante a prova cerca de 1 litro de água mineral e 1,5 litro de goldrink premium,
no final bebida isotónica Gold Nutricion e 500 ml de batido de proteínas com CLA e leite de soja.
Da parte da tarde visita à exposição para ver as novidades e fazer algumas compras de artigos com mega desconto. Aproveitei para conhecer o nosso campeão Ricardo Marinheiro, medalha de prata nos campeonatos do mundo de XCO deste ano na Austrália, na categoria júnior.
Parabéns Ricardo, pelos teus feitos e pela tua simpatia, vais longe rapaz!


Agora de volta aos treinos de corrida pois a Meia-Maratona da Nazaré é já daqui a 3 semanas.
Hoje 13 Km a ritmo de cruzeiro, amanhã outro tanto, espero eu.
Bons treinos

quinta-feira, 15 de outubro de 2009

À conquista do Estoril



Dentro de 3 dias o triatlo do Beira-Mar, equipa que representei nesta época, vai participar na final do campeonato nacional individual no Estoril.
Aos atletas e amigos Carlos Rocha, Jordão Alves e Jorge Vieira (são aqueles 3 ali de cima!) desejo as maiores felicidades.
A vossa presença aí, neste nosso primeiro ano é já uma grande vitória. Força nas pernas que vou estar a torcer por vocês.
Um abraço do amigo e companheiro destas lides.

quarta-feira, 14 de outubro de 2009

Máquina para a época 2009/2010

Com as rodas de treino (Mavic Kysirium SL): 7,4 Kg

Com as rodas de competição (Zipp 404 tubular): 7,1 Kg

É com esta máquina que vou atacar a próxima época de triatlo. Fica a faltar apenas o "cocpit" com os respectivos extensores, mas isso só para 2010 é que chega, mas já está escolhido.

As novas Zipp 404 foram testadas hoje e a primeira impressão é como diz o João de Santarém: "Não há palavras"!
Uma apreciação mais exaustiva fica para quando já tiverem mais uns Kms.
Abraço e bons treinos.


domingo, 11 de outubro de 2009

Bela manhã, boa companhia, bons resultados





Hoje de manhã alguns atletas juntaram-se naquele que já começa a ser a nossa base operacional, o Jardim Odinott, para um treino a ritmo competitivo de triatlo na distância olímpica.
Natação feita no canal que mais parece uma piscina, ciclismo feito nas estradas circundantes, num circuito com 8400 metros com poucas rotundas e um pavimento de luxo, praticamente plano, apenas cerca de 20 metros de subida por volta. Corrida na zona do canal em terra e calçada num circuito de 2km, praticamente plano também.

Juntou-se a nós a "estrela" Andreia Moço, a Campeã Nacional de XCM (btt versão cross coutry maratona) de 2009. Grande orgulho para nós termos uma companheira de treino campeã nacional, pena foi que apenas tenha feito o segmento de natação. Fica o repto para dentro de 3 semanas se juntar a nós para mais um treino.

Quanto à minha prestação foi muito positiva, até deu para melhorar a marca de Aveiro 2009 e com quase 6 minutos gastos nas transições!

Total de treino: 2h34'52''
Natação (1550m): 30:56  a 2:00/100m; FCMed: 155
Transição: 3:03
Ciclismo (42Km): 1h07'57'' a 37,1 Km/h; FCMed: 160; CadMed:95
Transição: 2:38
Corrida (9900m): 50'16'' a 5:05/Km; FCMed: 162
Gasto energético total: 1779 KCal o que dá 689 KCal/h

De referir também que me senti muito bem com a alimentação, 600ml bebida energética GN Premium e 600ml de hidratante Isostar durante o ciclismo + 1 gel ingerido lentamente entre os 5 e 7 Km da corrida. No final água e batido de proteinas, hidratos de carbono e CLA. Almoço "à grande e à Francesa"!

Boa semana.

terça-feira, 6 de outubro de 2009

Parabéns Andreia Moço

Parabéns Andreia.
Não é todos os dias que se é campeão nacional, por isso saboreia bem esse jersey durante os próximos 365 dias. Votos de muitos e maiores sucessos e poucas ou nenhumas lesões.
Vivam os Galinhos!

segunda-feira, 5 de outubro de 2009

Triatlo de Coimbra - Final da Época 2008/2009






OBJECTIVO ALCANÇADO

Ao concluir a prova do Iº Triatlo de Coimbra terminou a minha época competitiva de triatlo de 2008/2009. Foi a minha primeira época como federado e a experiência foi tão boa que é para repetir para o próximo ano. Noutra altura farei uma avaliação da época com mais calma e frieza.
Para esta última prova, uma vez que não me qualifiquei para a final do Campeonato Nacional Individual, tinha como único objectivo fazer uma marca abaixo da 1 hora e 15 minutos. Como estávamos apenas três atletas da equipa do Beira-Mar eu seria quem iria "fechar" a equipa, por isso também queria dar o melhor para ajudar a equipa na geral colectiva.
O objectivo foi alcançado ao fazer 1:14:13 e ficar em 44º lugar da geral absoluta, em 81 atletas que se qualificaram no final da prova. Isto pois parece que houve atletas desqualificados.
Melhorei em todos os segmentos, melhor velocidade de natação em prova (2:02/100m), melhores transições (as 2 em 2:o7), melhor média no ciclismo (34,4 Km/h) e melhor velocidade na corrida (4:20/km). Detalhadamente:
Natação (750m): 15:19 (2:02/100m)
Transição 1: 1:10
Ciclismo (20100m): 35:01 (34,4 Km/h)
Transição 2: 0:57
Corrida (5000m): 21:42 (4:20/Km)

Taxa de esforço de 804 KCal/hora

Esta passa a ser o meu melhor registo na distância Sprint.
A prova começou bem, pois na noite anterior dormi muito bem, ao ponto de não ouvir o despertador e ter acordado mais de 1 hora depois do previsto. Então foi um autentico contra-relógio para chegar a Coimbra ainda com o parque aberto, mas foi conseguido. O pequeno almoço foi ligeiro, pois já só faltavam 2 horas para entrar na água, cereais variados com leite de soja, enquanto preparava a bebida energética.
Uma vez em Coimbra fiz um ligeiro aquecimento de corrida, no qual senti algumas dores na face posterior da coxa esquerda, mas penso que era da carga de treino da semana.
Vesti o fato isotérmico e ao entrar na água senti-me bem. Apesar de um pouco preso de movimentos o sector de natação foi rápido apesar de não me ter entendido muito bem com a respiração, razão pela qual a transição 1 foi muito lenta para o que eu pretendia. Mais uma vez dificuldade em calçar os sapatos em andamento. Logo nos primeiros metros passa o colega Jorge Vieira por mim que me incentiva a ir na sua roda, mas com dificuldade lá me cheguei a ele, porém ele ia muito forte e em recta perdi a roda. Após o primeiro retorno surge um atleta que eu tinha passado pouco antes e colei-me a ele. Um pequeno descuido numa viragem e lá ganha ele 50 metros e depois foi um 31 para lhe alcançar de novo a roda. A segunda volta foi feita quase sempre atrás dele e que jeito me deu. Entrámos no parque juntos e ele saiu para a corrida com 30 metros de vantagem que rapidamente foram aumentando. Não embarquei em aventuras e fui no meu ritmo, desde cedo percebi que não ia muito mal pois não aparecia ninguém a ultrapassar-me. Só mais à frente é que fui passado por atletas que eram bons corredores. Nos último 500 metros consegui inclusive passar 2 adversários, coisa inédita para a minha corrida.
Terminei cansado, mas rapidamente recuperei. O almoço foi abundante e regado com uma limonada maravilhosa. À tarde fiz um treino de recuperação de bike, cerca de 50 Km abaixo do 60% do RCM na companhia da Marta.
Terça-feira de volta à piscina!
Bons treinos para todos.



quarta-feira, 30 de setembro de 2009

O novo "canhãozinho" da Martinha


Olá a todos.
Esta é a nova bike de estrada da Marta, a minha namorada.
Representa um sonho antigo, ter uma bike de estrada a sério, de carbono, com uma transmissão pro e muito leve. Com os seus 7,2Kg, tal como está na foto à saída da loja, apronta-se como um canhão para as subidas mais íngremes. A estreia está reservada para os próximos dias, para tomar o pulso aos seus ângulos.
Esta bike é muito pequena, mas assim tinha de ser, pois a Marta também é pequena, contudo um estudo exaustivo das suas dimensões resultou num quadro e componentes ideais para a sua morfologia. Não havia muitas alternativas para o quadro, sendo esta a que mais lhe agradou. Já em relação aos componentes a busca foi exaustiva, pois não há muitas marcas a produzir rodas 650c, avanços de 80mm, espigões de carbono sem recuo, guiadores de 38cm, pedaleiros com cranks de 165mm, etc.. No final o resultado foi este:

Marta = 47 Kg

1 Quadro Orbea Diva White tamanho 46 ................................................... 1122

2 Forqueta Orbea para rodas 650c .............................................................. 330

3 Par de rodas Mavic Kysirium Elite 2010 ................................................. 1570

4 3T Doric Team seatpost .......................................................................... 172

5 Selle Italia SLR Carbonio Flow Saddle .................................................... 135

6 Guiador 3T Ergonova Team Oversize 31.8 largura 38 cm ......................... 197

7 Fita de guiador + cabos ........................................................................... 115

8 Avanço FSA 120 White 80 mm Oversize 31.8 ............................................ 155

9 Manípulos Shimano Ultegra 6700 ............................................................. 491

10 Caixa de direcção ................................................................................... 130

11 Travões Shimano Ultegra 6700 ............................................................... 318

12 Desviador frente Shimano Ultegra 6700 colado ........................................ 85

13 Deviador de trás Shimano Ultegra 6700 .................................................. 189

14 Pedaleiro Ultegra 6700 Compact 50/34 165mm + eixo pedaleiro .............. 783

15 Cassete Shimano Ultegra 6700 11-28 ....................................................... 247

16 Corrente Shimano Ultegra 6700 .............................................................. 264

17 Pneu Frente Schwable Ultremo R 650c ................................................... 176

18 Pneu Frente Schwable Ultremo R 650c ................................................... 180

19 Continental Race 26 Tube ...................................................................... 174

20 Grades Elite ............................................................................................. 85

21 Pedais Look Keo Classic ........................................................................ 283

22 Ciclocomputador Sigma .......................................................................... 49    

Total: 7250 g

terça-feira, 29 de setembro de 2009

Parabéns Cadel Evans


Exemplo de determinação e vontade de vencer este é um verdadeiro campeão.

segunda-feira, 28 de setembro de 2009

Rescaldo do II Triatlo de Setúbal (26-9-2009)


Se quisesse resumir em poucas palavras os acontecimentos deste final de tarde competitivo seria algo de: "Faltou-me a gasolina!"
De facto, para além disso, foi um fim-de-semana maravilhoso. 
Não cumpri o objectivo a que me propus. O único objectivo era melhorar a marca na distância olímpica do triatlo, ou seja, 2:36:47. 
O meu tempo oficial foi de 2:44:58! Tempo este que numa primeira análise me deixou muito desapontado.
Sendo a minha segunda melhor marca na distância das 3 vezes que fiz um triatlo olímpico. Os 8:11 a mais foram perdidos na corrida, a qual foi muito penosa, principalmente a primeira volta, onde algumas cólicas abdominais e a falta de ritmo não me deixavam avançar. A vontade de desistir era muita, mas as palavras de incentivo e encorajamento que os meus amigos do SCBM me dirigiram não me deixaram parar. Foi pelo emblema, que apesar do meu fato não o trazer, estava bem marcado no meu peito, por ele é que não deitei a toalha ao chão. O SCBM representou nesse momento os laços de amizade que durante este ano se estabeleceram entre nós todos. Por esses laços lá continuei. Não era o único a passar por dificuldades. Uma atleta muito jovem do Alhandra também avançava com muita dificuldade, mas com o incentivo dos colegas não desistiu. Lembro-me de lhe dizerem: "Vai ao teu ritmo, mas não desistas, nem pensar em desistir, desistir nunca." Essas palavras também valeram para mim. Aprendi muito nesta corrida. Aliás aprendi muito durante esta prova.
Contudo ainda retiro alguns dados positivos do meu desempenho. Melhorei 6 lugares na classificação absoluta, pois para mim é essa que me interessa. Passei de 133º e Aveiro para 127º em Setúbal.
Melhorei o segmento de natação em mais de 2:30 minutos, melhorei o tempo das transições em cerca de 30 segundos, melhorei também a velocidade média do ciclismo em 0,2 Km/h, o que é pouco, mas é melhor. 
Assim devido às melhorias nos primeiros 2 segmentos quando iniciei a corrida levava menos cerca de 3 minutos do que em Aveiro, apesar da natação ter sido feita em condições de mar longe das ideais de Aveiro e do percurso de ciclismo apresentar maior quilometragem, mais empedrado e muitas viragens técnicas. Quase me atrevo a pensar, que apesar do desgaste que já levava, se a corrida não tivesse cerca de 200 metros de desnível positivo, sim eu não me enganei, 200 metros em 10500 metros de extensão, teria melhorado o meu tempo. Mas as dificuldades estavam lá para todos, por isso os meus parabéns ao meus colegas do SCBM que foram todos melhores que eu e muito o mereceram, principalmente ao Mister Zé Miguel pela sua prova muito consistente. Para o ano também nós (eu, o Pato e o mister) vamos conseguir um lugar no Estoril, ou onde for. Parabéns ao Jordão e ao Carlos pela excelente prova que fizeram
que lhes dará o passaporte para a final. Uma palavra de apreço e admiração para o companheiro Paulo Gonçalves pela brilhante prestação e um muito obrigado pelas ajudas que já começam a surtir efeito. Nós estamos à tua espera para 2010!
Por último quero dizer também que entre os muitos erros que cometi no sábado um dos maiores foi não ter ficado para o arroz de marisco. Foi a última vez que faltei ao convívio pós prova. Mais um ensinamento de Setúbal!
Bons treinos e até Coimbra. Vem aí a desforra!

quinta-feira, 24 de setembro de 2009

Mote para Setúbal


Aproveito para desejar uma boa prova a todos os atletas que vão participar no Triatlo de Setúbal, em especial para a equipa do Sport Clube Beira-Mar, mas sem esquecer os ex-companheiros que agora militam no "outro lado da 2ª circular", que é como quem diz da Ria. Graçola!

Deixo aqui um video que mostra toda a força da equipa do Beira-Mar, os invencíveis.
http://www.youtube.com/watch?v=JfO1Kh1WCic

terça-feira, 22 de setembro de 2009

Homenagem a uma grande atleta e enorme mulher.


De “menina prodígio” a melhor atleta portuguesa de sempre

Atlanta, 2 de Agosto de 1996, Final dos 10 mil metros.

Ao entrar para a última das 25 voltas ao estádio olímpico, Fernanda Ribeiro tinha 20 metros de atraso em relação à chinesa Wang Junxia (recordista mundial da distância). O sonho do ouro olímpico parecia perdido, mas os últimos 200 metros da Fernanda foram absolutamente extraordinários e na recta final ultrapassou a “chinesa voadora” conquistando a medalha de ouro com o tempo de 31:01.63 (bateu o recorde olímpico e nacional).

No final da prova Fernanda diria: "Tinha prometido que lutaria até cair para o lado, só me faltou acabar de gatas. A partir do terceiro quilómetro comecei a sentir dores no tendão de Aquiles, cerrei os dentes, sofri, mas eu, pelo sonho de ser campeã olímpica, estava preparada para ir até... morrer! Só apanhei um pequeno susto quando vi a Wang, a chinesa do sangue de tartaruga, a isolar-se, a 400 metros do final. Mas nessa altura pensei que ainda não estava vencida...foi quando pensei na promessa de ir a Fátima a pé."

Em Atlanta, Fernanda Ribeiro fechou um ciclo de ouro até hoje inigualável por qualquer outro atleta português: Campeã Europeia em 1994 (Helsínquia), Mundial em 1995 (Gotemburgo) e Olímpica dos 10 mil metros.

PS: Mais uma marca pessoal que foi hoje melhorada: 5000 metros em 21m04s (4:12/Km)

A receita de Carlos Sastre.



Olá a todos.
Desde a sua vitória no Tour em 2008 que me comecei a interessar mais pelo ciclista profissional Carlos Sastre. O que despertou o meu interesse neste atleta mais do que a sua performance foi o homem por detrás da imagem. Eu e ele temos muitas coisas em comum, vim eu a descobrir com o passar do tempo. Temos a mesma idade, ou quase, ele é 25 dias mais velho que eu. Temos o mesmo signo, Touro. Temos a mesma altura, 1,73 m. Ele pesa em média 60 Kg mas eu peso mais 6 Kg, ou seja 66 Kg. Aqui reside uma diferença significativa, mas com o tempo, o treino, a alimentação e o meu empenho pode ser que consiga chegar lá. Quanto ao desempenho na bicicleta aí eu nunca conseguirei chegar sequer perto do Carlos.
Bom, mas não é isso que me fez escrever sobre ele. O Carlos usa como alimento de recuperação imediata uma receita que eu já experimentei e que passei a adoptar. É 100% natural e tem todos os elementos necessários à recuperação imediata de um ciclista.
Então é assim, para uma tigela deitam-se 2 ovos inteiros, 1 colher de mel de abelha e 2 colheres de sopa de vinho da Madeira. Bate-se tudo com a varinha mágica por 1 minuto e bebe-se. Depois é alongar e tomar banho.
Experimentem e depois digam se não funciona.
Bons treinos.

PS: Este início de semana vai ser dedicado exclusivamente à natação, mas sobre isso escrevo noutra altura.

domingo, 20 de setembro de 2009

Correr e mais correr...

Hoje fiz a minha melhor marca de sempre nos 10Km. Não é nada de especial, mas seria impensável à 1 ano atrás: 44'03''. 
A um ritmo de 4:24 ao Km.
Não foi um treino com esse objectivo. Nem era para correr tanto, mas aos 6 km senti-me bem e por isso decidi continuar, entrei por um trilho que nem sabia bem onde ia dar e quando dei por ela estava a regressar a casa da Marta e perto do 10 Km e o tempo era encorajador, então forcei o andamento nos últimos 500 metros e foi no que deu.
A uma semana do Triatlo de Setúbal a moral está em alta, vamos ver como corre a semana.
Bons treinos aos que me lêem.

A metamorfose continua...



Olá a todos os que me lêem. 
Há mais de um ano que tento ser um triatleta. Desde essa altura apercebi-me da beleza desta modalidade, aliás do conjunto das 3 modalidades. Nunca nos cansamos de treinar, pois estamos sempre a treinar coisas diferentes. É mais fácil evitar as lesões pois trabalhamos partes diferentes do nosso corpo e a intensidade não necessita ser sempre alta. Desta forma podemos praticar triatlo até muito tarde na vida, em teoria. Porém desde Agosto do ano passado que não me sentia bem. Tinha dores, tinha medo do que essas dores poderiam representar. Não conseguia treinar pois tinha medo de a qualquer momento uma dor mais forte me deitar por terra. Os meses foram passando, uns melhores, outros piores. Consultei vários médicos e por fim neste mês de Setembro tive uma resposta. Após uma análise clínica e imagilógica exaustiva, recorrendo a RX, TAC, RMN e estudo muscular isocinético, não foi detectada nenhuma lesão significativa nos joelhos. As minhas rótulas não estão lá muito alinhadas, mas com uma terapêutica adequada isso não representará um risco maior. Aliás o médico que me acompanhou nesta fase final terminou dizendo: "Faça o favor de treinar!"
Então é o que tenho feito.
Treinar para ser um melhor ser humano, não mais forte ou mais rápido, mas para ser mais tolerante. Para saber sofrer melhor e aceitar aquilo que O Criador me reserva no dia-à-dia.
Os outros não são adversários, apenas companheiros nesta longa viagem. 
Vemos-nos por aí...

quarta-feira, 16 de setembro de 2009

Objectivo maior!

Deixo aqui uma frase que mostra bem aquilo deve ser o nosso lema quer no desporto, quer na vida em geral.

"Never underestimate the power of dreams and the influence of the human spirit. We are all the same in this notion: The potential for greatness lives within each of us."

-Wilma Rudolph (first American woman runner to win three gold medals at a single Olympics.) 

Vida nova no horizonte.

Após muito tempo de inactividade este blog volta e renovado, para aqui mostrar algumas das minhas aventuras e desventuras.
Até breve... 

quarta-feira, 27 de maio de 2009

Iº Duatlo de BTT de Cantanhede - 24 de Maio de 2009

Começo pelo fim para dar os parabéns aos meus colegas de equipa do SC Beira-Mar pelo magnífico 2º lugar por equipas, conquistado nesta que foi a minha primeira participação numa prova de duatlo. Esta foto é do momento em que o trio de campeões (Raul Matos, o homem da pera, Carlos Rocha, o mais friorento e Nuno Troia, o sorridente fluorescente) compartilham o momento com o resto da equipa, eu que sou o cromo dos óculos, Jordão Alves, o mais comprido e o Jorge Pato, o mais encalorado. Um grande momento, esperemos que seja o primeiro de muitos momentos passados pelos pódiuns de aquém e além fronteiras.

No que se refere a minha prestação cumpri os meus objectivos, tendo inclusive superado as minhas perspectivas na corrida.
45º classificado à geral em 93 atletas que terminaram de 115 inscritos.
Tempo de prova de 1:33:03, com os parciais de:
1ª corrida (5120 m): 24:12 a uma velocidade de 4:38/Km
BTT (20100 m): 55:35 a uma velocidade média de 21,8 Km/h
2ª corrida (2450 m): 13:30 a uma velocidade de 5:10/Km

Mais alguns dados técnicos:
FC med: 160 bpm; FC max 183 bpm; Gasto energético: 1287 KCal (830 KCal/h)
Ascensão de toda a prova: 265 m


Após um teste de corrida de 5 Km no sábado fiquei com a impressão de que esta prova iria ser apenas um treino para adquirir ritmo competitivo e que ficaria cá para trás na classificação, na segunda metade e distante dos meus colegas de equipa. Assim as perspectivas eram baixas para a corrida, contudo no ciclismo as coisas eram diferentes. Contava com um percurso pouco técnico e rápido, uma vez que a zona é plana e pouco pedregosa. Completo engano. O traçado era bastante técnico e exigente fisicamente, muitos singles, muita pedra, curvas apertadas, descidas perigosas e até uma parede. Ainda assim este traçado penso que me favoreceu, visto sentir-me relativamente à vontade no fora de estrada.

Iniciei a corrida cautelosamente cá atrás. Rapidamente encontrei o meu ritmo a cerca de 4:45/Km e fui na companhia do mesmo atleta que ia muito certinho no andamento. A partir do 1º Km começamos a passar "as lebres" e a minha moral foi subindo. Ao controlar o ritmo e a quilometragem pude ver que ia bem e regular, a pulsação estabilizada a rondar os 90%. Ao Km 4 espevitei o andamento para a casa dos 4:15/km e passei quase uma dúzia de competidores.

Entrei no ciclismo de mansinho, tentando repor algumas energias e hidratando.
Assentei o ritmo ao fim de 5 minutos e fui sempre a recuperar lugares. Dizer que durante todo o segmento de ciclismo apenas fui passado por 2 atletas e tendo passado mais de 20. A moral continuava a subir. Porém na fase final do BTT surgiram algumas caímbras a nível dos gémeos o que me fizeram baixar o ritmo, mas como estávamos numa zona de singles não fui ultrapassado.

A transição para a segunda corrida é que foi penosa, fruto do pouco treino de corrida e de transições. Plano para o futuro será mais treino de transições. 
Esta última parte foi dura pois estava muito desgastado e as pernas não respondiam. Contudo ainda fiquei surpreendido por não ir assim tão lento, mas sinto que posso melhorar muito nessa parte e tirar mais de 3 minutos ao meu tempo se estiver mais forte na corrida.




Como remate deixo uma palavra de forte apreço ao companheirismo do atletas Rui Ferreira, Miguel Lopes e Barradas que apesar de terem deixado a secção não deixaram de ser companheiros. Parabéns pelas vossas provas e continuem a treinar pois só assim vão conseguir atingir os vossos objectivos. Quinta-feira vemos-nos!

Forte abraço a todos.

sexta-feira, 15 de maio de 2009

Que susto...

Que susto que apanhei ontém no treino de corrida com a malta do triatlo do SCBM e Galitos.
Depois dum aquecimento fortíssimo de 5,3 Km a um ritmo de cerca de 5 min ao Km (esta malta está com uma pujança brutal), que para mim mais foi um empeno que um aquecimento, na primeira série de 300 m senti uma dor aguda na face interna da coxa esquerda, perto da inserção púbica do quadricípede. Parecia que algo rasgou. Tive de parar. Alguns estiramentos. Alguns passos lentos e tentativa de retomar a corrida, mas lá vinha a dor. Fim do treino!
Repouso durante a noite e antinflamatório tópico. Uma boa noite de sono.
Hoje de manhã parecia que nada se tinha passado, graças a Deus foi só um susto. Ainda sinto um ligeiro desconforto nessa região, mas nada de grave. Mais 2 ou 3 dias de repouso e farei um teste para ver se posso pedalar e tentar voltar a correr. O joelho direito lá se vai aguentando.
Bons treinos.

quarta-feira, 13 de maio de 2009

Esclarecimento


Em Novembro do ano passado surgiu um projecto em Aveiro, liderado pelo João Oliveira que visava implementar uma equipa de Triatlo/Duatlo em Aveiro. A associação ao Sport Clube Beira-mar foi imediata e o projecto, lentamente e com avanços e recuos foi crescendo. Este grupo de pessoas puseram o projecto de pé. Parabéns por isso.
Devido a alguns problemas físicos o final de 2008 e início de 2009 não foram muito produtivos e o meu treino de corrida e natação ressentiram-se. Esta é a razão pela qual ainda não competi esta época. O pontapé de saída tudo leva a crer que seja a 24 de Maio em Cantanhede. 
Na última semana soube da saída da secção de 3 atletas. Fiquei triste pois acabei por não ter a oportunidade de poder competir a seu lado. Não vou discutir as razões destes, apesar de as respeitar e até compreender, porém também compreendo que o momento actual não é propício a grandes investimentos e as condições que nos proporcionam não são, por vezes as desejáveis. No entanto temos condições para praticar este desporto, assim temos licença da federação, temos seguro desportivo, temos treinadores, temos piscina coberta curta e descoberta olímpica, temos pista de atletismo e principalmente temos espírito de grupo. Contudo faltava uma coisa. Um rival. Agora já temos! 
Após alguma reflexão quero dizer a todos os que me lêem que em 2009 vou apenas representar o SC Beira-mar na vertente de triatlo/duatlo, mantendo assim um compromisso pessoal tomado em Novembro. Já na vertente de ciclismo continuarei  representar o Galitos/Madeivouga/Kenda/GimLine, tencionando federar-me na FPC-UVP e UCI o mais breve possível. 
Para 2010 vou-me mudar para a Astana que não pára de convidar para ajudar o Lance a ganhar o Tour e a Volta a Portugal.
A todos os meus amigos dos Galitos e do Beira-mar desejo as maiores felicidades e conquistas desportivas. Vemos-nos por aí!
Aquele abraço
Josué


quarta-feira, 22 de abril de 2009

XCUM-SRP-160 2009




Em 2008 não pude participar na ultra pois a minha preparação ficou irremediavelmente comprometida devido a uma queda no final de Fevereiro. Não é só o Lance que cai e compromete algumas provas! 

Em 2009 a "sorte" e Nossa Senhora já me deixaram treinar melhor e alinhei na Ultra. O meu objectivo era ficar abaixo das 9 horas, o que representa uma média acima dos 18 Km/h. Não me magoar e chegar bem. Não faço competição mas quero ser competitivo, é o meu lema. Apesar de ter caído ao Km 78 não me magoei, nem danifiquei a 986. Levantei-me e rapidamente prossegui. Contudo a prova começou mal pois ao km 5 perdi um bidon e tive de voltar para trás cerca de 500 metros, mais adiante voltei a perder o bidon e voltei a perder tempo. Com estes dois percalços perdi cerca de 4 minutos. cerca do km 60 deixei cair os óculos e perdi mais de 1 minuto. Na zona das fitas arrancadas estive cerca de 5 minutos à espera que a organização orientasse um grupo de 10 ciclistas para a ZA. Nessa ZA recolhi o meu saco alimentei-me devidamente por mais de 5 minutos e foi como se começasse uma nova prova. Juntei-me a um colega e rolámos rápido muitas vezes acima dos 30 km/h até ao km 120 onde as dificuldades técnicas e a chuva dificultaram a progressão. Como eu imaginava essa hora de prova entre o km 120 e o 140 foi a mais penosa. A partir do último abastecimento as forças voltaram e ainda recuperei muitos lugares até Serpa. Ainda assim e devido ao entusiasmo de estar perto do meu objectivo ainda me perdi cerca de 2 km arrastando comigo um outro atleta, a quem pedi desculpa e que me custou mais de 10 minutos. Nos kms finais apertei o ritmo indo buscar forças não sei bem aonde terminando com 8:40 no meu Polar 725x, nos 50 melhores tempos dos atletas que concluíram a totalidade do percurso.

Analisando a minha prestação penso que cumpri os objectivos pessoais traçados, muito embora tivesse perdido tempo infantilmente, pelo que as 8:30 estavam perfeitamente ao meu alcance. Em menos de 3 anos de prática desportiva regular esta foi uma das minhas maiores vitórias pessoais. Porém em 2010 traço como objectivo ficar abaixo das 8h e não cair!

Este foi o meu rescaldo ds XCUM-SRP-160 2009.

Sobre a polémica gerada pela deficiente marcação do percurso numa zona limitada de cerca de 3% do percurso penso que a organização falhou neste aspecto e que tentou de imediato resolver a situação o que acabou por conseguir. Por outro lado os atletas que segundo os códigos da UCI não finalizaram a prova (DNF) fizeram-no por sua iniciativa, pelo que é deles a responsabilidade desse acto. Se deve ou não haver classificação na SRP-160 penso que isso só um juiz credenciado pela UCI ou FPC é que pode tomar essa decisão, pois tem a devida formação para tal. Lembro ao fórum que quando as etapas de ciclismo apanhavam uma passagem de nível fechada a corrida era interrompida e retomada com as diferenças de tempo que as regras definem. Como contabilizar essas diferenças apesar de difícil se os envolvidos tiverem ética desportiva não é problema, pois eles melhor que ninguém contabilizariam essas diferenças. Quando em 2003, no Tour, Lance Armstrong caiu, devido a um espectador, quando lançava um ataque, sensivelmente a meio da subida para Alp d'Huez, seguido de Ivan Mayo e Ulrich, estes dois podiam ter tirado partido desse acontecimento, mas esperaram por Lance e a corrida prosseguiu mais adiante (
http://www.youtube.com/watch?v=DQDjqAkLUB0&feature=related). Lembro também que à muitos anos a clássica velocipédica portuguesa Porto-Lisboa não era marcada e havia atletas que faziam desvios e paravam para almoçar e havia sempre um vencedor. Porém os tempos são outros e a prova é de outro tipo.

De qualquer forma os meus parabéns ao frontal 77.

Até para o ano.

quinta-feira, 2 de abril de 2009

7ª Semana concluída - Maratona de Mortágua 2009




Mais uma semana de treino concluída, conseguindo cumprir o volume programado.
Esta semana correspondeu a uma diminuição do volume de treino, que vinha já no seguimento da 6ª semana, isto porque a 8ª semana volta a ser duríssima, tendo quase o dobro da carga horária que a 7ª semana. Assim nesta semana fiz apenas 160 Km, em cerca de 8 horas de treino, divididas por 3 sessões. Uma na quinta, outra na sexta e outra no domingo, que correspondeu à junção das sessões 2:3:3 e 2:3:4, num total de cerca de 5 hora de treino contínuo. Esta última sessão correspondeu à participação na Maratona de Mortágua, no percurso de 80 Km. 
O objectivo a que me propus para esta prova era participar para adquirir ritmo competitivo e fazer treino de montanha, pois que com os seus 1700 metros de subida era uma boa oportunidade para treinar subidas longas. Muito importante também era não cair para não comprometer a recta final de treino e a eventual participação na SRP-160.
Os objectivos foram todos cumpridos e a prova foi muito agradável e serviu para tirar muitas conclusões.
Desde Outubro de 2008 que não participava numa maratona de 80 Km, ou seja desde a Maratona do Vale do Vouga. Com base na minha prestação nessa prova tiro as seguintes conclusões:
1. A minha capacidade aeróbia melhorou significativamente, visto que fiz a prova a 83% de média do ritmo cardíaco máximo enquanto que em Outubro fiz a prova a 88%.
2. Apesar de a subida de Mortágua ser de 1700 m e a do Vale do Vouga ser de 1600 m a velocidade media em Mortágua foi de 17,2 Km/h enquanto que no Vale do Vouga foi de 16,9 Km/h. Ou seja andei mais rápido. Contudo à que referir que com as alterações introduzidas no equipamento, bike e sapatos, em Mortágua eu carregava menos 500g na bike, mas mais 2 kg no meu peso!
3. A concorrência está a andar muito, pois se em Outubro fiquei em 57º agora apenas fiquei em 110º! Contudo senti as pernas pesadas, muito por causa do volume das semanas anteriores e por isso não pude dar tudo o que podia, mais ainda porque não quis correr riscos nas zonas técnicas.
Saldo muito positivo na globalidade uma vez que esta corrida era encarada mais como um treino, assim como também o será a prova deste domingo em Anadia, a Rota dos Lobos da Montanha onde os 65 Km vão ser encarados como um treino de 3 horas.
Para esta prova o principal objectivo é não cair, não me lesionar, superar as queixas intestinais que mais uma vez em Mortágua me roubaram algum vigor e se possível completar os 65 Km em menos de 3 horas. Isto não vai ser nada fácil porque no domingo vou ter mais de 200 km nas pernas da semana e mais de 8 horas de treino em cima, ou seja vou estar ainda mais cansado do que estive em Mortágua. No entanto tem de ser, para depois recuperar e construir forma para a semana a seguir à Páscoa.
Entretanto queria dar os parabéns, principalmente à Dulce pela vitória na Maratona feminina de Mortágua e ao excelente 4º lugar do Landry tb em Mortágua bem como ao retorno à competição do Nuno Sacra! Força companheiros! Para o Taco as melhoras depois da queda, recupera bem para este domingo voltares à carga.
Entretanto bons treinos.